2017-10-16 - 18:27
A FORÇA DA NOSSA VIDA É O NOSSO RELACIONAMENTO COM DEUS O PAI
Se não temos esta revelação, agiremos, pensaremos e sentiremos como um órfão.
SOMOS FILHOS E NÃO ÓRFÃOS
GRAÇA – É A LICENÇA PARA VIVERMOS COMO JESUS – TODD WHITE
João 14.18 e Lucas 15. 11-31

SOMOS FILHOS E NÃO ÓRFÃOS

 João 14.18 - Não os deixarei órfãos; voltarei para vocês.

Lucas 15. 11-31

INTRODUÇÃO

O nome de Deus introduzido por Jesus foi PAI – Mateus 6 e por diversas vezes os discípulos escutaram e relataram esta revelação e depois os demais cristãos.

Jesus fez isso porque queria mostrar aos seus discípulos a necessidade de um RELACIONAMENTO VERDADEIRO E NÃO RELIGIOSO COM DEUS.

Mostrar o PROPÓSITO ETERNO DE DEUS DE TER MUITOS FILHOS SEMELHANTES A ELE.

Por isso precisamos entender que A FORÇA DA NOSSA VIDA É O NOSSO RELACIONAMENTO COM DEUS O PAI;

Ele nos ensina o que significa isso, durante toda a sua vida na terra; Jesus sabia que Deus era seu Pai, Por isso dependia totalmente do PAI!

Quando entendemos isso, tudo muda dentro de nós!

Então precisamos de uma revelação a este respeito;

O amor do Pai, a Graça do Senhor Jesus, e a Comunhão com o Espírito Santo.

Tudo isso tem a ver com nossa comunhão com o Pai

Essa é a principal razão da nossa vida – Comunhão com o Pai. Em todo tempo em todos os momentos.

Por isso o Espirito Santo grita dentro de mim ... ABA PAI!

Romanos 8.15

Deus é o nosso Pai!

Quando estamos em comunhão com o Pai...

·         A nossa identidade muda,

·         Nosso caráter se transforma!

·         O Espírito Santo se conecta ao seu espírito e irradia Sua Glória!

QUEM VC VÊ QUANDO OLHA NO ESPELHO?

Quando entregamos a vida a Jesus, crendo que Ele veio do Pai, que morreu pelos nossos pecados, nos tornamos uma nova criatura, uma nova criação.

João1.12-13

Nascemos do Espirito, nos tornamos filhos de Deus!

2Cor 3.12-18

Somos livres para viver um relacionamento com o Pai!

Deus te criou para você e eu termos um relacionamento com Ele.

Isso é a simplicidade do Cristianismo!

Nos movemos de Glória em Glória – brilhando mais e mais, mais e mais até sermos como Cristo Jesus.

Mas se vc olhar no espelho e não o ver brilhando em vc, quem Deus criou vc pra ser, as circunstâncias da vida, as dificuldades que vc enfrenta, as dores que vc atravessa, vão determinar quem vc é!

Em Cristo somos amados pelo Pai. Cristo pagou um alto preço para nossa filiação.

1João 3.1-3

No Velho Testamento era necessário cumprir a lei

·         613 lei mais os 10 mandamentos;

·          E mais, quem quebra uma delas, quebra todas – Tiago 2.10

Mas Deus nos amou,

1João 2.10 e 19a - Essa é a maneira de Deus amar; Essa é a definição final de AMOR.

Nós não o aceitamos, foi Ele que nos aceitou;

ESSA GRAÇA NOS HABILITA A VIVER A DIMENSÃO DO REINO DE DEUS.

A GRAÇA NOS HABILITA A TER DEUS DENTRO DA GENTE. Colossenses 1.27

A GRAÇA RESOLVEU O PROBLEMA DA MINHA CONDIÇÃO - Efésios 2.4

A GRAÇA RESOLVE O PROBLEMA DA DISTÂNCIA. - Efésios 2.13.; Hebreus 10.20

A GRAÇA ME DÁ CONDIÇÕES DE VIVER A PALAVRA, A PALAVRA VIVA JESUS (O LOGOS). - 2Coríntios 3.6

A GRAÇA ME DÁ MISSÃO E RAZÃO PARA VIVER! 2Corintios 5.18

Isso é Graça.

GRAÇA – É A LICENÇA PARA VIVERMOS COMO JESUS – TODD WHITE

A GRAÇA NOS HABILITA A ENTENDER A DIMENSÃO DO AMOR DE DEUS - 1Joao 4.11.

Porque estou dizendo tudo

SOMOS FILHOS DE DEUS E NÃO ÓRFÃOS!

Essa é uma revelação que precisamos ter que quisermos viver tudo isso. Se queremos deixar de viver uma vida religiosa; Não experimentar a revelação de que somos Filhos e vivermos esta Graça maravilhosa é viver sabendo que estamos indo para o céu para estamos vivendo um inferno!

Por isso precisamos de uma revelação do Espírito Santo

Romanos 8.15-16

No texto de Lucas 15, era assim com os dois filhos daquele Pai cheio de amor!

Embora o nome dado pelas sociedades bíblicas foi a parábola do Filho Pródigo Lucas 15, eu gostaria e chamo de a Parábola do PAI AMOROSO!

Um pai cheio de amor, cheio de compaixão por seus filhos que reagiam como órfãos.

Já lemos que recebemos o Espírito de Filiação Romanos 8.15 – “... o Espírito torna vocês filhos de Deus...”

Se não temos esta revelação, AGIMOS, PENSAMOS E SENTIMOS COMO ORFÃOS.

Agimos pensando que estamos fazendo coisas da “Bíblia”, do “Reino”, mas nossas intenções são carnais.

Na parábola que Jesus contou podemos ver algumas dessas ações de ORFÃO. O sentimento e pensamento de Órfão produz:

1-      PRODUZ PESSOAS SEM REFERENCIAL E IDENTIDADE

Lucas 15.11-13; Lucas 15. 18-19; Lucas 15.28-29

Mesmo morando com o Pai, mesmo convivendo na casa com o Pai amoroso, presente e generoso, os dois filhos não tinham uma identidade de filho.

·         Um reclama a herança e os dois recebem.

·         Os dois tem sentimentos de escravos.

·         Os dois filhos insatisfeitos com o que tem.

O pensamento de órfão nos impede de uma comunhão verdadeira e profunda com o Pai.

O pensamento de órfão nos oprime e escraviza.

·         Oprime com pensamentos de independência (filho mais novo);

o   Posso me virar sozinho;

o   Posso viver a vida que eu quero e como quero;

o   Posso gastar minha vida com meus sonhos e projetos pessoais;

·         Oprime com pensamentos de méritos e recompensas (filho mais velho);

o   Sentimento de escravo;

o   Faço minha parte e Deus não me recompensa como imaginava;

o   Sempre na defensiva com o que Deus me fala;

o   Se sente preterido quando Deus abençoa o irmão ao lado;

o   Sempre se justificando com Deus;

Perdemos o referencial, a nossa verdadeira identidade de filhos.

Precisamos mudar nossa mente!

2. PRODUZ DISTORÇÕES NA VIDA SOCIAL, NOS RELACIONAMENTOS.

Lucas 15. 12-13; 28-30

·         Orgulho;

·         Soberba;

·         Superioridade;

·         Arrogância;

·         Inveja;

·         Panelinhas;

Sentimos e ações de órfãos. Não entenderam sua filiação em Cristo. Não compreenderam que como filhos repousa o amor de Deus. Que não precisam mais usar desses mecanismos para se protegerem, ou para se auto afirmarem; Que como filhos, o que importa de fato e o amor do Pai.

Este amor é suficiente. Este amor é tudo que necessitamos para viver. Este amor é que que precisamos dar a todas as pessoas; É na presença do Pai que recebemos a revelação deste amor e podemos sair para repartir a todos.

 

3. PRODUZ INSEGURANÇA.

Ambos os filhos tinham tudo na presença do Pai.

Lucas 15.31

Mas quando se tem uma mentalidade de órfão, tudo falta.

Por isso:                                       

·         Um pede a parte dele na herança (incabível);

·         O outro disse que nada tinha, nem um cabrito para comer com os “amigos”.

·         Falta satisfação, falta algo para um que leva a sair da presença do Pai;

·         Falta motivação para o outro celebrar a volta do irmão;

·         Falta compaixão para com o próximo. (egoísmo)

·         Falta amor – porque o perfeito amor lança fora todo medo!

Mas o órfão age assim!

Ele não se sente seguro e se cerca de tudo para se sentir seguro.

Insegurança emocional que faz com que se cerque de outros órfãos,

Insegurança física, então vive uma vida louca para ter as coisas e assim se sentir seguro;

 

O PAI QUE AMA SEUS FILHOS

O pai se preocupa com os seus filhos e faz tudo para eles se sintam amados.

·         Reparte a herança

·         Vai atrás do filho mais velho para fazer a cabeça dele para entrar na festa;

·         O Pai se expõe para salvar a vida do filho que volta para casa. (Deuteronômio 21:18-21).

·         Mas o pai, ao avistar o moço entrando na vila, logo correu para abraça-lo e restaurar assim a sua posição de filho.

·         As pedras ficaram no chão e as mãos do pai estavam desocupadas para abraçá-lo.

 

Este é o Pai que ama, que supre, que cuida, que deseja nossa conversão de mente de coração para filhos.

SOMOS FILHOS E NÃO ORFÃOS

Filhos que reflitam a sua Glória do Pai e não a sua orfandade;

Filhos que não estejam preocupados com o que falam de vc, mas que se importam e se movem pelo que o Pai pensa e fala a seu respeito;

Filhos que se acolham a todos e amem de verdade, e não sejam apenas de fachada, ou politicamente correto, educados.

Filhos que celebrem com os outros as bênçãos e não reajam com inveja ou orgulho;

Filhos que desejem compartilhar a outros sobre a filiação, assim como um dia alguém compartilhou a vc.

Filhos amados que se sintam totalmente seguros porque conhecem o Pai;

Filhos que permaneçam na presença do Pai, completamente satisfeitos com esta presença.