2017-11-28 - 13:24
Os tabus sempre acusaram grandes separações entre as pessoas
O senhor Jesus estabelecendo este diálogo restaura a dignidade da mulher que até então estava submetida a um tabu que a própria sociedade da época tinha imposto.
QUEBRANDO TABUS
João 4:1-42
Pr G Jimmy Cornejo



Texto. João 4:1-42

A sociedade desde os primórdios sempre esteve permeada por uma série de tabus, paradigmas ou barreiras que se interpuseram nos relacionamentos interpessoais criando assim obstáculos que acabaram separando ou segregando a sociedade em grupos; causando assim uma serie de discriminações que prejudicaram ou prejudicam o desenvolvimento natural da sociedade como um todo. Esta situação também alcançou o contexto religioso, aliás, desde a queda do homem, vários paradigmas e tabus foram se perpetuando e causando assim uma discriminação violenta ao interior da sociedade.

No tempo em que Jesus Cristo exerceu seu ministério aqui na terra podemos ver com clareza como estes tabus discriminatórios tinham se perpetuado fortemente no meio do próprio povo de Deus. Nessa época, por exemplo, ser leproso era o mesmo que ser imundo e essa pessoa era excluída da sociedade e condenada a viver uma vida de humilhação vergonha e dor; ser cego era ser fruto de pecado e por conseguinte a pessoa com essa deficiência não tinha nem a mínima chance de frequentar escolas ou mesmo o interior do templo. Esse tipo de pessoa vivia da mendicidade, e obviamente eram com frequência humilhados e tratados como cachorros. Ser mulher então era muito complicado. A mulher era indigna, não podia ter acesso ao tora, se for pega em adultério então era punida com severidade, apedrejada e morta, e se fosse prostituta então estava marginalizada da sociedade por o resto da sua vida. Os tabus sempre acusaram grandes separações entre as pessoas.

Meditando no evangelho de João no capítulo 4:1-42 veremos como Jesus encarou e quebrou vários tabus.

1.     Tabu Social João 4:7-8.  O primeiro tabu que o Senhor Jesus quebrou foi o tabu social ao conversar com uma mulher em publico que não era de sua família, pois esta pratica era completamente repudiada pelos mestres fariseus, pois eles achavam que as mulheres eram tão indignas que não podiam ter nem se quer contato com o tora. Então o senhor Jesus estabelecendo este diálogo restaura a dignidade da mulher que até então estava submetida a um tabu que a própria sociedade da época tinha imposto.

2.    Tabu Religioso João 4:9-11. Havia uma rixa entre os judeus e os samaritanos que teve seus inícios lá no ano 495 a. C., quando os judeus não aceitaram a ajuda dos samaritanos para reconstruir os muros de Jerusalém, esta rixa começou porque samaritanos acabaram se misturando e casando com povos pagãos, e assim desobedeceram aos mandamentos de Deus com respeito a este assunto. Isto criou uma divisão que se manteve ao longo da história. É deste argumento que a mulher samaritana utiliza para mostrar sua indignação e a rejeição que a assolava. Porém o Senhor Jesus com muito amor mostra que esse tabu tinha sido quebrado nesse mesmo momento. Jesus é a água da vida, a água que purifica, que restaura, que transforma, que regenera, essa água da vida tem também o poder de quebrar os tabus da religiosidade que se levantaram para separar as pessoas umas das outras.

3.    Tabu Moral João 4:14-18. Da mesma forma que Nicodemus, esta mulher também ainda não havia entendido o sentido espiritual das palavras de Jesus. Certamente constrangida pela situação de vida conjugal desregrada que levava, ia buscar água nos horários mais quentes, horários estes que o poço de Jacó era pouco ou nada frequentado, assim ela vivia evitando os confrontos com seus vizinhos. Ela queria se livrar dessa situação desagradável. Se essa fosse a solução, ela aceitava de bom agrado a água que Jesus estava lhe oferecendo, pois assim ela não teria mais que vir a pegar água no poço, porém esse não era o tipo de água da qual Jesus estava falando. Ela ainda cegada pelos tabus, não conseguia enxergar o caminho do arrependimento, mas quando o Senhor Jesus a confronta com sua situação conjugal vergonhosa, ele também aplicou nela a cura apropriada para esse pecado, Ele apertou a ferida tirando o pus e conduzindo ela pelo caminho do reconhecimento, do arrependimento e da confissão dessa realidade, assim ela esta agora pronta para ouvir a mensagem do evangelho e se tornar um instrumento nas mãos do Espírito Santo. Você tem tido discernimento espiritual para interpretar a Palavra de Deus? Você tem deixado ao Espírito Santo conduzi-lo pelo caminho do arrependimento? Ele quer fazer com que de seu interior jorrem águas de Vida!

4.    Tabu teológico. Outro tabu que estava fortemente arraigado na vida religiosa do povo dessa época era...

a.    Discipulado e treinamento João 4:1-2. Até o inicio do ministério de Jesus o treinamento e discipulado era pouco abrangente, de fato os judeus só faziam proselitismo e o discipulado estava restrito a eles mesmo e essa atividade estava, mas limitada a um ensino ou a uma transmissão de conhecimento teológico e filosófico com pouca prática, esse ensino se dava dentro o templo. Até então só um grupo seleto podia ser ensinado e receber a autoridade para ministrar ao Senhor e abençoar as pessoas. Já Jesus vem a trazer uma inovação revolucionária neste quesito. Jesus treina seus discípulos na rua, agora os conceitos e doutrinas teológicas estão cobertos por aplicações práticas, das quais nenhum deles escapa. Jesus mostrava como se fazia e logo lhes delegava a responsabilidade para eles fazerem debaixo a sua supervisão, isto é o que João registra no cap 4:1-2 “Os fariseus ouviram dizer que Jesus estava ganhando mais discípulos e batizava mais pessoas do que João. (De fato, não era Jesus quem batizava, e sim os seus discípulos.)”. Vejo com grande preocupação que nós como Comunidade Evangélica das Nações nestes últimos dois anos perdemos este principio tão valioso do discipulado, poucos ainda são fieis e obedientes nesta tarefa, aliás estamos sendo desobedientes a ordem que o próprio Jesus nos deu conforme registrado no evangelho de Mateus 28:19-20 “Portanto, vão a todos os povos do mundo e façam com que sejam meus seguidores, batizando esses seguidores em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e ensinando-os a obedecer a tudo o que tenho ordenado a vocês. E lembrem disto: eu estou com vocês todos os dias, até o fim dos tempos.” Queridos, precisamos com urgência retomar o discipulado, e obedecer a nosso senhor Jesus Cristo.

b.    A adoração não está mais sujeita a tempo e espaço João 4: 20-24 "19.

Uma vez mais a mulher samaritana tenta desviar a conversa, entrando num assunto teológico ao respeito da adoração. Jesus, então amorosamente dá uma aula sobre a adoração para ela a qual se perpetuo no tempo, e que todo cristão verdadeiro deveria vivenciar no seu dia a dia. Até antes deste episódio vemos que a adoração a Deus estava sujeita a tempo e espaço. Naquela época havia um lugar especifico pra adorar a Deus e esse lugar como o próprio senhor Jesus diz era Jerusalém para os judeus, já os samaritanos achavam que era no monte Gerizim. Eles argumentaram que este era o local do primeiro sacrifício Israelita na Terra de Canaã e por isso este seria o lugar aonde deveria se adorar a Deus. Deuteronomio 27:3-7. A declaração do Senhor JESUS indica que não é necessário hoje adorarmos a Deus “em um determinado lugar ou estendendo as mãos para local especifico, ou voltado para Jerusalém como faziam os antigos”  Porém, para adorar a Deus é necessário recebermos o Espírito Santo; é só assim que poderemos adorar em espírito e em verdade. Outra verdade que o Senhor Jesus menciona aqui, é que Deus está buscando adoradores e não lugares de pedra, mas sim corações sinceros, Deus não está buscando altares de sacrifícios, mas Ele está buscando pessoas que o adorem em Espírito e Verdade.

c.    Evangelismo é uma tarefa que não discrimina. Se até então havia uma divisão ferrenha entre judeus e samaritanos, Jesus mostra claramente para seus discípulos que ele veio ao mundo a fim de salvar todos os seres humanos independente de quem sejam estes. De fato, o reino de Deus não discrimina ninguém. A obediência a tarefa de evangelizar traz resultados poderosos:

 

a)    Evangelismo é tarefa de todos os cristãos verdadeiros. João 28:30. A tarefa de evangelização é uma responsabilidade de todos aqueles que foram regenerados pelo precioso sangue de Jesus Cristo, conforme 1 Pedro 2:9 “Mas vocês são a raça escolhida, os sacerdotes do Rei, a nação completamente dedicada a Deus, o povo que pertence a ele. Vocês foram escolhidos para anunciar os atos poderosos de Deus, que os chamou da escuridão para a sua maravilhosa luz.” De fato, não há maior privilegio que o de comunicar as boas novas, levar a mensagem da salvação é o que enche o nosso coração de alegria, e ainda mais é tão poderoso o anunciar as boas novas que o próprio Deus nos fez seus embaixadores, somo responsável de levar e transmitir as verdades do Reino.

b)  Evangelismo é o alimento que sacia nossa fome. João 4:31-34
Jesus aponta aos seus discípulos o que ele estava fazendo era a pura e simples vontade de Deus. Que fazer a vontade de seu Pai, deu-lhe o alimento divino da vida.  Este alimento divino o encheu de energia o que lhe permitiu continuar seu trabalho.

 

c)   Evangelizar continua sendo uma necessidade hoje. João 4:35-38 
O apostolo João está desafiando seus leitores a considerar a plantação que está pronta para a colheita. É quase certo que os discípulos de Jesus pensavam que a colheita espiritual pertencia somente à comunidade Judaica. Jesus os desafiou a olhar para fora de suas paredes religiosas que discriminavam os outros, para assim pode ver a comunidade vizinha herética, impura e contraditória para a colheita, um campo que não tinham considerado até este momento.

Conclusão. Precisamos quebras com os tabus que nos separam dos marginalizados e alcança-los, entregando para eles as Boas Novas do Evangelho. Os campos continuam brancos, os obreiros ainda são poucos, precisamos tomar uma postura cristã diante deste desafio, a tarefa ainda não foi concluída e Deus conta com você para fazer a colheita.